FAQs & Links

Perguntas Freqüentes (FAQs) & links Úteis

Depois de mais de cinquenta anos no ramo fornecendo soluções aos desafios de produção, a Chem-Trend tem respondido a uma ampla gama de questões ao redor do mundo, além de ter desenvolvido relacionamentos bastante fortes dentro da indústria. Por favor, sinta-se à vontade para explorar algumas das perguntas e respostas de questões relacionadas à moldagem, ou visite algumas das associações e publicações líderes nas indústrias nas quais servimos.

A capacidade de resfriamento do molde é uma importante característica do desmoldante?

A capacidade do desmoldante de resfriar o molde é uma das características intrinsicas do produto. Para alguns casos, a capacidade de resfriar é indesejável pois poderá afetar a fluidez do metal. Porém em outras situações quando o molde tem deficiência na refrigeração interna, o desmoldante desempenhará a importante função de refrigerar sua superfície.

As peças estão pré desmoldando. O que posso fazer?

Pré-desmoldagem pode ser causada por diversos fatores. Desenho do molde, tempos de laminação, formulação da resina, formulação do gel-coat, equipamentos de aplicação descalibrados, tempo de cura do gel-coat, pouco ou muito catalizador, temperatura ambiente, humidade e fontes de calor externas, para comentar sobre algumas, podem causar esta pré-desmoldagem. Muitos desmoldantes semi-permanentes possuem um coeficiente de atrito mais baixo na superfície, se comparado com a ceras por exemplo, o que pode explicar que influenciam mais na pré-desmoldagem. Se todos os fatores que podem causar este problema já foram verificados, você poderá diminuir a incidência destes defeitos pela simples aplicação, de forma bastante leve, do limpador de moldes na superfície do molde, o que deverá aumentar levemente o coeficiente de atrito na superfície.

Como agentes desmoldantes devem ser aplicados numa operação de prensagem de painéis de madeira?

A aplicação de agentes desmoldantes depende do tipo de operação de prensagem e os parâmetros específicos da fábrica. Para prensas de aberturas múltiplas do tipo "daylight", o agente desmoldante é normalmente pulverizado diretamente sobre a madeira  ou, quando necessário, nas correias de transferência ou telas que transferem o agente desmoldante para a parte inferior do colchão de madeira.

Para as prensas contínuas, o agente desmoldante é mais tipicamente pulverizado diretamente sobre a correia de prensagem, imediatamente antes da entrada da prensa. Em alguns casos, um rolo de transferência é utilizado para aplicar o agente desmoldante na correia, ao invés de um pulverizador.

Finalmente, agentes desmoldante internos também podem ser utilizados no processo. Agentes desmoldantes internos são misturados com a matéria-prima da madeira, geralmente pouco antes ou depois de o elemento ligante ser incorporado.

Como aplicar produto num pneu cru?

A maioria dos produtos para a indústria pneumática é desenvolvida para ser aplicada no pneu cru utilizando-se dos seguintes sistemas:

  • Pistola de pulverização para aplicação automática ou sistema manual de aplicação.
  • Pintura com pincel
  • Esponja

O verdadeiro sistema de aplicação escolhido pela planta pneumática dependerá primeiramente do equipamento disponível e da logística da planta. Provedores experientes de desmoldantes serão capazes de recomendar e melhorar as técnicas de aplicação quando desejado.

Como as aplicações específicas (compósito, plástico, borracha etc.) afetam o tipo recomendado de agente desmoldante?

Geralmente, o agente desmoldante não deve ser quimicamente compatível com o material que está sendo moldado: deve oferecer uma boa barreira química e física, evitando que o componente moldado interaja com o molde (substrato). Vale aqui o antigo provérbio “semelhante dissolve semelhante”, sendo assim, se o agente desmoldante e o material são compatíveis demais, o material pode penetrar no filme do agente desmoldante e aderir à superfície do molde. A composição do material a ser moldado, como também as características físicas de rigidez e abrasão (muitas vezes influenciadas por cargas e agentes de reforço), são consideradas na escolha do agente desmoldante. Diferentes ligas metálicas, materiais termofixos, termoplásticos e elastômeros usam diferentes processos de moldagem que exigem diferentes características do agente desmoldante, afetando a seleção do desmoldante.

Como deve ser aplicado o agente desmoldante?

A metodologia de aplicação depende do veículo escolhido como também da natureza do agente desmoldante, do processo e do ambiente do processo. A aplicação é um aspecto fundamental a ser observado e pode influenciar significativamente o desempenho do agente desmoldante. Na maioria dos casos, os agentes desmoldantes são aplicados com pulverizadores (aplicação manual ou por robôs). Em algumas aplicações usam-se sistemas de pulverização programáveis, com bicos múltiplos, permitindo a aplicação de um ou mais agentes desmoldantes. O tamanho do bico é regulado para garantir uma correta pulverização (influenciada pela vazão esperada e a viscosidade do agente desmoldante) e uma boa formação do filme. A aplicação com pulverizador pode ser assistida por ar (onde o ar é usado para cisalhar e pulverizar ainda mais as gotículas) ou sem ar (onde o bico que opera em altas temperaturas cisalha o fluxo do agente desmoldante para obter a pulverização necessária). Também se podem usar pulverizadores eletrostáticos para aplicar agentes desmoldantes sólidos e líquidos. Em algumas aplicações, os agentes desmoldantes podem ser aplicados por aerossóis ou até mesmo de maneira manual ou automatizada.

Como devo eu proceder em regiões com marcas de abrasão (raspadas)?

Áreas raspadas é resultado típico de excesso de abrasão. Preparação apropriada do molde e reaplicações mais frequentes do desmoldante deverão minimizar estas marcas.

Como eu devo remover um desmoldante semi-permanente?

A remoção de desmoldantes semi-permanentes é muitas vezes mais difícil devido a ás características do filme curado. O processo recomendado é o de usar um limpador especial para esta finalidade, ou então lixar e polir a superfície, assegurando que toda a camada do desmoldante foi retirada.

Como faço para garantir uma aplicação consistente entre um operador e outro?

Quando o agente desmoldante é aplicado com um pulverizador manual é importante estabelecer uma vazão mínima para manter uma pulverização consistente. A quantidade de vazão exigida vai variar de acordo com a granulação da ferramenta, a complexidade da peça e a velocidade da linha. Quando uma quantidade correta é determinada, a vazão deve ser registrada em gramas ou mililitros por segundo. Isso precisa ser controlado a cada troca de turno para assegurar que há consistência entre os operadores. Esta informação ajudará a treinar novos operadores a aplicarem corretamente o agente desmoldante. As pressões do fluido e do ar pulverizador também precisam ser consistentes e são imprescindíveis para a aplicação repetitiva.

Como o desmoldante deverá ser tratado no sistema de tratamento de efluentes?

Desmoldante base água são emulsões de óleos e outros aditivos em água. O tamanho das partículas na emulsão é um fator de muita importância. Partículas de pequenas dimensões podem ser removidas em sistemas de precipitação convencional por floculação ou outro método de separação utilizando-se sulfato de Al, cal ou outros reagentes. Poderão também ser removidos por membranas semi-permeáveis como UF e NF embora tenham tendência de foul ( dependendo do tipo de membrana utilizada). A eficiência na remoção dependerá do tipo de processo utilizado.

Como poderei aumentar a vida do bladder?

A vida do bladder poderá ser aumentada através da aplicação de um tratamento superficial que ajudará a proteger o bladder contra agentes químicos e ataque abrasivo que ocorre durante sua vida útil. Este tipo de ataque ocorre de forma mais intensa em sua superfície que entra em contato com o talão do pneu durante sua cura. Este tratamento superficial poderá aumentar significativamente sua vida útil. A escolha da pintura interna poderá também contribuir positivamente na vida do bladder.

Como poderemos controlar a relação de diluição do desmoldante?

A relação de diluição do desmoldante pode ser analisada utilizando-se o sistema LaMotte. Uma pequena amostra do produto diluído deverá ser colocada no instrumento e sua leitura feita comparando-se com a curva padrão de calibragem. Sistemas automatizados de controle de diluição também estão disponíveis.

Como posso garantir que a superfície seja pulverizada adequadamente?

Pode-se fazer uma amostra da pulverização usando um pedaço de cartolina. Primeiramente, assegure-se que o bico e o espalhador do equipamento de pulverização estejam limpos e irrestritos. Segure o pulverizador à uma distância da cartolina que seria normal entre o pulverizador e a superfície do molde. Pulverize o agente desmoldante na cartolina em movimentos regulares em forma de leque. A amostra deve estar sólida e secar rapidamente. Qualquer borrão mostrará as áreas possivelmente pouco pulverizadas ou aplicadas desigualmente. Se houver líquido escorrendo pela superfície, a aplicação do líquido foi excessiva.

Como saber que quantidade aplicar no pneu e como medir esta quantidade?

De forma geral, a quantidade ideal de pintura interna é aquela que forma uma camada uniforma na parte interna do pneu de talão a talão. Para pintura externa, a cobertura deverá ser fina e uniforme na área externa no pneu, de forma geral na lateral do pneu e principalmente no ombro. A área da rodagem normalmente não é pintada.

Uma vez que a cobertura ideal é obtida, utilizando as diretrizes visuais mencionadas acima, então pode-se determinar a real cobertura. Isso pode ser alcançado tanto medindo a quantidade de cobertura quanto utilizando-se de quantidades pré-estabelecidas, ou “patch-test”.A quantidade aplicada pode ser determinada utilizando-se sacolas de polietileno pesadas previamente cobrindo a pistola de aplicação para capturar a quantidade aspergida quando ativada. O “patch-test” é a aplicação de quantidades pre-estabelecidas tanto na parte interna quanto externa fo pneu, dependendo do volume medido previamente (interno ou externo). No caso da técnica da sacola plástica, é recomendado medir uma média de cinco ou seis ativações da pistola, simulando a aplicação em 5 ou seis pneus, e então calcular a média para obter melhor acuracidade.

No caso do “patch test” é preferível a aplicação pelo menos três vezes no pneu para determinar a distribuição do filme sobre o mesmo. Em ambos os casos, a quantidade de cobertura utilizada é obtida do cálculo das diferenças de peso ou quantidade antes e depois dos processo de simulação. A Chem-Trend pode dar suporte no processo, se necessário.

Como um desmoldante poderá melhorar a produtividade?

Desmoldantes são formulados para resfriar com rapidez e aderir à superfície do molde formando uma película protetora prevenindo a adesão do Al sobre o molde e uma suave extração da peça. Estes fatores reduzirão o ciclo e paradas de máquina não programadas, aumentando produtividade.

Desejo utilizar desmoldantes semi-permanentes. Será necessário limpar os moldes antes?

Quando esta sendo avaliado qualquer desmoldante, nos sugerimos que os moldes sejam limpos e preparados de acordo com as instruções do fornecedor. Esta é a única forma de analisar a performance, bem como verificar alguma aplicação especifica para o seu processo.

Quando esta sendo realizado algum teste de desmoldante, nós sempre sugerimos escolher um molde que represente o seu processo de produção, bem como um que não cause problemas ao nível de produção caso algum problema ocorra. Sempre utilize testes com fitas adesivas na superfície do molde para verificar se ele esta limpo (a fita deverá aderir á superfície se esta estiver limpa). O mesmo teste dever ser realizado para em diversas áreas do molde para verificar se foi aplicado o selador e desmoldante ( a fita deverá soltar da superfície muito mais fácil que no molde limpo).

Moldes já em uso preparados com ceras
Aqui estão incluídos todos os tipos de ceras liquidas, pasta ou selantes a base de cera. Devem ser removidos todos os contaminantes da superfície do molde, utilizando-se de um pano de algodão e uma boa quantidade de limpador de molde. Nós não recomendamos aplicar desmoldantes semi-permanentes diretamente sobre ceras, pois isso irá comprometer a adesão do filme de desmoldante com a superfície do molde.

Moldes já em uso preparados com desmoldantes semi-permanentes
Os desmoldantes semi-permanentes existentes não são exatamente iguais. Todavia muitos são compatíveis entre si, o que significa que podem normalmente ser aplicados sobre um filme já curado de outro semi-permanente sem limpar o molde. Teste limpando uma pequena área do molde com o limpador de moldes , e então uma camada de desmoldante semi-permanente. Se esta aplicação inicial é difícil de ser aplicada (fica na forma de gotas), marcas ou de forma diferente da usual, PARE e limpe o molde todo.

Desmoldantes geram Carência Química de Oxigênio?

COD é a sigla em inglês para Chemical Oxygen Demand, ou Carência Química por Oxigênio, e todos os compostos orgânicos geram COD. No caso dos desmoldantes, normalmente uma quantidade significante de materiais orgânicos pode ser removida tanto por precipitação quanto por filtração, como descrito acima.

Desmoldantes que contenham silicone poderão afetar a adesão da pintura sobre a peça?

A pintabilidade da peça dependará da eficiência no processo de limpeza da mesma. Os silicones presentes no desmoldante, poderão ser utilizados na desmoldagem de peças que serão pintadas desde que estas peças estejam sujeitas a um rigoroso processo de limpeza. Em razão de um variado tipo de processo e produtos para limpeza, nós recomendamos um estudo detalhado para adequar o sistema de limpeza ao seu processo.

Eu deixei marcas (estrias) na aplicação. O que devo fazer?

Muitos fatores semelhantes podem causar embaçamento ou estrias na superficie do molde. Podemos dizer que estrias que ocorrem durante a aplicação do desmoldante ou do selador em muitos casos são resultado de contaminações, moldes úmidos, ou então de uma má aplicação. Presumindo-se que o molde tenha sido bem limpo, a forma como você aplica o desmoldante é um fator importante. Tanto o desmoldante como o selador dever ser aplicados em camadas finas, usando panos de 100% algodão. Não use tecidos sintéticos pois o solvente do desmoldante poderá dissolver este tipo de fibra causando estrias. NÃO RE-UTILIZE PANOS.

As condições atmosféricas na area de aplicação também podem agravar este defeito. Embaçamento pode ocorrer quando os moldes estão mais frios que o ar. Isto pode resultar em condensação que fica retida entre o molde e o filme de desmoldante quando ele cura.

Eu posso usar o mesmo desmoldante, tanto para peças onde é ou não aplicado gel-coat?

Mesmo que alguns produtores escolham usar um unico desmoldante semi-permanente para todas suas peças, nós acreditamos que peças onde é usado gel-coat e as peças onde não é utilizado devem ser tratadas de forma diferente, bem como moldes que possuam tampa e cavidade.

Eu vejo o molde embaçado. O que causa isto e como posso evitar?

Molde embaçado após a aplicação do desmoldante (antes de moldar):
Isto pode ser causado pela reação do desmoldante com contaminantes na superfície do molde. Também pode ser causado pelo estireno no molde acaba agarrando a ele, e ali permanece retido, ou pelo excesso de umidade durante a cura do desmoldante (principalmente em condições muito úmidas). Podem ter origem dos panos usados na aplicação que estão contaminados, ou pela condensação, particularmente quando os moldes estão mais frios que a temperatura ambiente.

Embaçamento que aparece após a moldagem da peça:
O calor da catalise pode gerar umidade, estireno livre ou outro material não curado sobre o molde durante o processo de moldagem, ficando então entre o filme de desmoldante e o molde. Após vários ciclos de moldagem o estireno livre pode também polimerizar deixando um filme duro na superfície do molde. Reforma do molde é a melhor forma para eliminar este defeito.

Existem agentes desmoldantes atualmente disponíveis para aplicações em 100% pMDI?

Quando o pMDI começou a ser usado na prensagem de painéis de madeira, os agentes desmoldantes  normalmente em uso naquela época tinham boas propriedades de desmoldagem. No entanto, um problema foi que eles tendiam a causar corrosão significativa nas placas da prensa, diminuindo consideravelmente a vida útil de equipamentos caros e efetuando negativamente a produção. Ao mesmo tempo, alguns destes agentes desmoldantes podiam, muitas vezes, ser irritantes para os olhos e pulmões, em particular quando em forma de névoa. Eles também transmitiam uma cor escura aos painéis acabados e com pouca ou nenhuma "memória" (a capacidade de desmoldar durante um período de tempo após a pulverização é interrompida).

Novos agentes desmoldantes foram desenvolvidos para uso com sistemas em pMDI. Estes materiais promovem boa desmoldagem e tem boa "memória", enquanto processam painéis de cor clara além de exibirem baixa corrosividade. No entanto, eles muitas vezes sofrem de uma tendência a criar build-up ou "mascaramento" sobre as superfícies prementes.

Uma nova geração de avançados agentes desmoldantes para uso com sistemas em pMDI na indústria de madeira está disponível no mercado, apresentando baixa corrosividade no ambiente de prensa e sendo muito mais segura de usar. Eles trabalham com taxas de aplicação baixas, têm características excelentes de memória, e dão painéis de cores muito claras, sem o acúmulo associado a alguns agentes desmoldantes.

Existem produtos com baixo ou nenhum VOC disponíveis no mercado?

Existem alguns agentes desmoldantes para concreto com baixo teor ou nenhum VOC. Estas exigências e características do produto têm que ser discutidas com os potenciais fornecedores.

Há agentes desmoldantes sem ou com pouco COV e outros auxiliares de processo disponíveis para atender às regulamentações de emissões?

Esta é uma área de crescente preocupação e interesse e há produtos disponíveis que têm pouco ou nenhum material COV.

O agente desmoldante pode afetar a cor das peças?

Agentes desmoldantes para concretos especiais, coloridos, podem ser customizados para permitir que os pigmentos fiquem na superfície da peça e ainda mantenham os moldes limpos. A manutenção da quantidade e/ou diluição apropriada do produto durante a aplicação é importante para a obtenção destes resultados, e a efetividade do agente desmoldante poderá ser completamente avaliada em um teste de campo antes da utilização do produto em larga escala.

O desmoldante poderá contribuir para a formação de fumaça na fábrica?

A maior demanda de fumaça provém da utilização do lubrificante para pistão. Estes são componentes orgânicos e há tendência de utiliza-los em excesso. Lubrificante para pistão de alta eficiência e com baixa formação de fumaça, poderão definitivamente contribuir para sua redução. Desmoldantes são emulsões base água e desta forma pouco contribuem para formação de fumaça. Alguns desmoldantes a base de óleo podem produzir fumaça mas são utilizados em pouca quantidade.

O que acontece caso meu sistema de aplicação falhar e o agente desmoldante não for aplicado?

O resultado de não se ter nenhum agente desmoldante aplicado depende do tipo de agente desmoldante que foi utilizado anteriormente no processo e quanto tempo o sistema estava a funcionar sem agente desmoldante. A maioria dos agentes desmoldantes disponíveis atualmente no mercado são projetados para ter uma característica conhecida como "memória". A memória é a manutenção de uma quantidade vestigial de agente desmoldante sobre a superfície de prensagem após a prensagem do painel. Conceito semelhante ao tempero de uma frigideira de ferro fundido. Devido à memória encontrada em agentes desmoldantes, breves interrupções na aplicação do agente desmoldante raramente resultam em colagem catastrófica do painel na prensa e em tempo de máquina parada associado À raspagem de placas ou correias.

O que devo fazer se a resina ou o gel não catalisado é aplicado em grande quantidade na superfície do molde?

Aplicação de gel-coat: se o gel-coat aplicado foi catalizado, e mesmo se este filme for expesso, ele deverá curar e ficar rígido. Se entretanto esta aplicação não curar, normalmente ele é removido com um pano embebido em uma grande quantidade de limpador de moldes, seguido então por uma re-aplicação de desmoldante. Se o filme esta curado, e existe desmoldante na superfície do molde, ele pode ser removido da mesma forma anterior, com limpador de moldes e seguido por uma re-aplicação do desmoldante, ou então simplesmente deixe ele curar totalmente, e então o desplaque da superfície do molde. Se nesta mesma situação, não existir desmoldante sobre o molde, e esta aplicação de gel-coat estiver curada, em muitos casos ele deve ser lixado.

Resina pura ou mal catalizada: utilizando um pano embebido em bastante limpador de molde remova esta resina da superfície do molde. Quanto menor a quantidade de limpador de moldes utilizado, bem como a menor a força usada para esta remoção, melhor será, pois isto evitará uma remoção excessiva de desmoldante da superfície do molde. Todavia você deverá assegurar que foi totalmente removida esta resina não catalisada do molde, pois mesmo um pequeno resíduo na superfície poderá acarretar problemas na próxima desmoldagem. Tendo sido removida toda a resina da superfície do molde, deve-se reaplicar uma demão de desmoldante e continuar o processo.

O que devo fazer se em alguma região do molde a peça esta grudando?

Primeiro analise a area em que esta grudando. Use uma fita adesiva para testar o molde em vários pontos, e assim verificar se o problema não está relacionado a uma má aplicação. O problema está localizado em uma área ou em todo o molde? Uma má desmoldagem pode estar relacionada á abrasão, desenhos agudos ou ângulos de extração pequenos. A área onde esta grudando é de difícil aplicação do desmoldante? Isto talvez signifique que esta área simplesmente irá necessitar de re-aplicações mais frequentes, como por exemplo cantos vivos ou áreas de grande abrasão.

O que é um agente desmoldante “híbrido”?

Os produtos híbridos oferecem o benefício de um material à base de solvente, tal como uma superfície aberta e uma capacidade de formação de filme e evaporação mais rápida, mas usam um veículo aquoso com uma pequena quantidade de solvente para fornecer estes benefícios. Esta tecnologia minimiza significativamente as emissões de COV.

O que é uma pintura externa e quando deverá ser utilizada?

Pintura externa é uma cobertura aplicada na parte externa de cada pneu para garantir a perfeita eliminação do ar entre a superfície do pneu e o molde, também ajudará na fluidez da borracha durante o processo de moldagem. Esta pintura também ajudará a uniformizar a aparência externa do pneu.

O que é uma pintura interna e por que é utilizada?

Pintura interna é aplicada no parte interna do pneu não curado para propiciar a necessária lubricidade para permitir que o bladder se acomode facilmente dentro do pneu não cru no processo de pré-conformação do pneu. Alto deslizamento neste momento do processo ajuda o bladder a conformar todos os contornos da parte interna do pneu, garantindo uma perfeita centralização do mesmo. Esta pintura também ajudará a eliminar o ar bloqueado. Sua utilização é importante também para reduzir os defeitos durante a cura do pneu e otimizar a sua uniformidade. No final da cura, a pintura interna transmite a necessária desmoldagem para que ocorra a remoção do pneu sobre o bladder.

Os nossos clientes preferem painéis de madeira com cores claras. Agentes desmoldantes podem causar escurecimento em nossos painéis?

A maioria dos agentes desmoldantes não têm impacto na cor do painel acabado, no entanto, há exceções com base no tipo de agente desmoldante sendo utilizado. Quando usado como indicado, a maioria dos agentes desmoldantes especializados permitem a você fazer os painéis de cor mais clara possível.

Poderá o desmoldante contribuir para aumentar a porosidade nas peças injetadas?

Porosidade poderá ocorrer caso a turbulência do metal aprisione o gas nas partes internas da peça. Excesso de desmoldante poderá também gerar mais gás na cavidade e contribuir para aumentar o defeito. Desmoldantes eficientes e desenhados para a aplicação não deverão contribuir para formação de porosidade.

Porque devem ser utilizadas pinturas internas com carga ou sem carga?

As pinturas com carga contém cargas especiais e selecionadas como a mica, que ajudam a remoção do ar retido durante a cura que se encontra entre o linner e o bladder. As pinturas sem carga não contém nenhuma carga e são usadas para obter uma ótima aparência interna do pneu, sendo que a remoção do ar ocorrerá através das ranhuras da superfície do bladder.

Porque devemos utilizar pinturas de única desmoldagem ou de múltiplas desmoldagens?

Pinturas de única desmoldagem são recomendadas quando o pneu a ser curado é de contorno difícil como os pneus de alto desempenho, onde a geometria do pneu e a região do ombro tenha ângulo muito fechado, criando uma região com tendência ao aprisionamento do ar. Nestes casos a pintura interna especial de simples desmoldagem para aplicação em todos os pneus é a mais recomendada. Pinturas de múltiplas desmoldagens são escolhidas quando o pneu seja de fácil moldagem e de contornos mias simples e onde a mão de obra não seja muito cara.

Porque deverá ser utilizado um tratamento de molde e qual é a melhor opção?

Tratamento de molde é aplicado na superfície do molde visando reduzir a contaminação, ajudar na fluidez da borracha e na remoção do pneu da cavidade do molde no final do ciclo de vulcanização e para melhorar a aparência externa do pneu.

A escolha do tratamento do molde dependerá de vários fatores, inclusive da frequência de aplicação desejada, o principal objetivo para aplicação do produto, ou seja, melhorar a desmoldagem, a aparência externa do pneu, e o equipamento de aplicação. Devido aos vários fatores envolvidos, a melhor escolha do produto deverá ser feita consultando um experiente fornecedor de desmoldante.

Porque eu tenho maior sujeira e dificuldades de desmoldagem em áreas com desenho sobre o molde?

Tomando algumas precauções, voce terá a mesma performance de desmoldagem neste tipo de superficie como em superficies lisas. A sujeira nos desenhos da superfície do molde normalmente possuem a mesma coloração do gel-coat utilizado. A causa desta sujeira dentro das ranhuras do desenho normalmente são resultado de: 1) falha na aplicação do desmoldante dentro destas ranhuras, principalmente nas mais profundas, a qual permite que pequenas quantidades de resina ou gel fiquem aderidos a cada ciclo, ou 2) excesso de desmoldante nestas regiões devido á aplicação. Quando o excesso de desmoldante ocorre, isto não permite a sua secagem total, e até mesmo sua cura que ajudaria na resistência química. O filme formado na superfície poderá então ser atacado pelo estireno livre presente no gel-coat ou na resina usada. Isto ocorre porque o estireno livre presente atua como um solvente, penetrando no filme não curado do desmoldante, e acelerando a sujeira bem como reduzindo o poder de desmoldagem. Para reduzir a sujeira e melhorar a desmodagem nesta situações, todo o cuidado deve ser tomado, e na aplicação a remoção deste excesso é muito importante, podendo inclusive er utilizado um pincel para a remoção , antes do polimento final.

Posso usar um agente desmoldante diretamente sobre as placas da minha prensa multi-abertura?

Devido ao fato de que as aberturas em prensas múltiplas (do tipo "daylight ") serem muito pequenas, o tratamento das superfícies de prensagem é feito normalmente com um revestimento semipermanente. Estes materiais devem ser aplicados sobre uma superfície de prensagem de aço bem limpa para desempenho máximo, além disso podem estender bastante o tempo entre limpezas da prensa, bem como reduzir o consumo de agentes desmoldantes internos e/ou externos.

Posso utilizar o mesmo agente desmoldante que temos utilizado para ligantes à base de formaldeído para ligantes de pMDI?

Em geral, os agentes desmoldantes que são utilizados com ligantes à base de formaldeído, fáceis de desmoldar, não são suficientes para o uso com os painéis em pMDI devido ao aumento da viscosidade das resinas de pMDI. Ligantes em pMDI exigem que os agentes desmoldantes mais sofisticados sejam desenvolvidos especificamente para evitar que os painéis colem no molde e previnam o acúmulo de sujeira no processo de prensagem.

Quais evoluções técnicas estão causando impacto nos tipos de agente desmoldante multiuso?

As indústrias estão moldando materiais cada vez mais exóticos para produzir peças com melhor desempenho sob condições de operação dos produtos acabados cada vez mais exigentes. Nem sempre estes materiais exóticos são moldados com facilidade. Um bom exemplo vem do setor automobilístico, onde componentes do motor (partes moldadas) são expostos a desafios químicos e físicos para resistir às condições operacionais bastante agressivas. Como resultado, foram desenvolvidos recentemente materiais mais resistentes (como compostos à base de fluorpolímeros) que precisam ser moldados, com alta taxa de produção e um nível de refugo mínimo (por causa dos seus custos de formulação mais elevados). Isto representa um desafio para a indústria de agentes desmoldantes, pois suas propriedades químicas e físicas os tornam difíceis de moldar e desmoldar.

A aparência das peças também se tornou mais exigente e, em muitos casos, as peças estão sendo usadas do jeito que foram moldadas, com um mínimo de acabamento realizado posteriormente. A indústria automobilística exige que componentes altamente visíveis como volantes ou painéis de instrumentos tenham propriedades estéticas detalhadas (e.g. textura, brilho e resistência à deterioração) logo após a sua desmoldagem.

Nos últimos anos, a fundição de alta pressão em moldes de alumínio presenciou um aumento na complexidade dos moldes, com uma maior integridade de fundição (semissólida e por compressão), além da redução dos tempos de ciclo e um aumento das temperaturas de fundição. Estes fatores exigem que o agente desmoldante apresente melhores propriedades contra soldagem, bem como melhores propriedades de desmoldagem e lubrificação para produzir peças de qualidade sob condições de fundição mais difíceis. Isto deve ser conseguido sem comprometer os outros atributos de desempenho do agente desmoldante.

Projetos de moldes mais complexos e sofisticados são criados para outras indústrias também, tais como pneus de baixo perfil produzidos pelos fabricantes de pneus. Estes projetos de molde exigem maior desempenho do agente desmoldante em relação à facilidade desmoldante e ao fluxo da borracha. A aparência pós-moldagem dos pneus também é muito importante, o que representa um grande desafio, pois este tipo de pneu tem que ser facilmente desmoldado e ao mesmo tempo deve-se assegurar uma aparência de alto padrão.

O uso de produtos com menos COV (composto orgânico volátil) continua a ser reforçado pelas fábricas como resultado das regulamentações HSE, sendo principalmente importante nos processos que exigem um envolvimento maior de operadores, como no segmento de compósitos. Haverá sempre um maior foco no desenvolvimento de produtos mais ecológicos e mais seguros para o uso. Isto vai estimular o desenvolvimento de novos agentes desmoldantes para atender estas necessidades, garantindo o mesmo, ou até melhor, nível de desempenho dos produtos usados atualmente.

Quais fatores precisam ser considerados para escolher o agente desmoldante?

Os fatores a serem considerados para a seleção do agente desmoldante correto incluem:

  • Material / substrato do molde
  • O material a ser moldado
  • Condições do processo:
    • Temperatura
    • Velocidade da linha / tempo de ciclo
    • Pressão
    • Processos de moldagem específicos tais como moldagem por injeção, de alta pressão, enchimento por gravidade, compressão etc.
    • Flutuações nas variáveis do processo
  • Geometria do molde
  • Operações pós-moldagem (adesão, revestimento)
  • Nível de desempenho e produtividade esperado (número de boas desmoldagens ou de boas peças desmoldadas por período)
  • Problemas no processo (desafios no preenchimento da cavidade, soldagem, taxa de refugo, flutuações nas condições do processo etc.)
  • Expectativas da manutenção de molde (frequência de limpeza do molde)
  • Exigências de acabamento da peça (brilho, entalhes, etc.)
  • Metodologia de aplicação
  • Exigências da Segurança da Saúde e do Meio Ambiente (SSMA)

Quais os benefícios da utilização de um agente desmoldante para concreto?

Certamente, a facilidade de remoção da peça após a cura, em diferentes tipos de molde, é uma importante razão para a utilização de um agente desmoldante. Também podemos considerar o aumento da vida útil do molde, uma vez que o desmoldante promove a formação de uma camada protetiva de lubrificante na interface entre o molde e o concreto. Este produto também pode auxiliar na prevenção de refugos causados pelas alterações de coloração da peça em função de sua interação com o substrato, molde. Todos estes benefícios resultam em uma operação mais eficiente.

Quais são as principais funções de um agente desmoldante?

Os agentes desmoldantes não oferecem apenas uma barreira física e/ou química como meio de separação entre o material que está sendo moldado e a superfície do molde, mas também unem características de processo como a taxa de fluxo do material sendo moldado dentro da cavidade do molde, o tempo de ciclo de moldagem e, claro, a facilidade de desmoldagem. A escolha dos agentes desmoldantes também afeta as características do acabamento das peças desmoldadas, como nível de brilho, reprodução exata da textura, operações de pós-moldagem (e.g. adesão ou revestimento da peça moldada), além de influenciar a vida útil do molde entre os ciclos de manutenção e também a produtividade geral.

Quais são as vantagens e desvantagens de cada tipo de agente desmoldante?

Cada tipo de agente tem seus fortes (F) e suas limitações (L) particulares. Aqui mostramos um breve resumo por tipo de agente desmoldante:

  • Agentes desmoldantes à base de solvente:
    • F: Mais fácil de aplicar. O veículo solvente também ajuda na formação do filme. A taxa de evaporação pode ser ajustada com base na mistura dos solventes. A escolha do solvente pode facilitar a dissolução / dispersão dos ingredientes ativos do agente desmoldante.
    • L: Não são muito ecológicos. Preocupam mais em relação à saúde (COVs) e segurança (risco de incêndio) que produtos que não são à base de solvente.
  • Agentes desmoldantes à base de água:
    • F: Ecológicos e não apresentam riscos de incêndio. Às vezes são solúveis (podem ser transportados em forma de concentrados). Podem ser usados para resfriar o molde, se necessário. Podem ser desenvolvidos com um nível tecnológico que garante um desempenho desmoldante equivalente ao de agentes desmoldantes à base de solvente.
    • L: Exigem uma tecnologia mais complexa para serem produzidos. Uma boa formação do filme pode ser mais difícil. Esta categoria de agentes desmoldantes pode ser mais propensa a problemas de estabilidade e de ataque biológico. Os agentes desmoldantes à base de água têm taxas de evaporação mais baixas que aqueles à base de solvente e podem não ser apropriados para algumas operações de moldagem, à temperatura ambiente, ou operações com tempos de ciclo curtos. A água residual no molde pode afetar o desempenho da moldagem (vapor aprisionado) ou até reagir quimicamente com o material de moldagem. Este último é particularmente um problema quando se molda peças de poliuretano.
  • Agentes desmoldantes sem veículo:
    • F: São ‘prontos para o uso’, como não há veículo. Sem emissões de vapor. A aplicação é menos ruidosa. Não precisam de diluição ou armazenagem em tanques. Não há fluxo de resíduos.
    • L: Pode haver risco de poeira se não for aplicado corretamente. Exigem um equipamento de aplicação especial (muitas vezes pulverizadores eletrostáticos) que podem exigir um investimento alto. O uso de agentes desmoldantes sem material transportador pode também exigir modificações adicionais no equipamento de moldagem para garantir o equilíbrio térmico do molde. Muitas vezes, estes fatores impedem a aplicação desta categoria de agentes desmoldantes.
  • Agentes desmoldantes de sacrifício:
    • F: Fácil de aplicar. Exigem menos técnica na aplicação e oferecem mais tolerância no trabalho (menos dependente de operadores qualificados).
    • L: Tendem a se acumular no molde se aplicados em excesso. Geralmente, o revestimento desmoldante é parcialmente transferido para a peça moldada, o que pode trazer efeitos colaterais nas operações pós-moldagem (pintura, adesão etc.), caso seja aplicado em excesso ou se a química do agente desmoldantes não seja compatível com a operação pós-moldagem. No caso de agentes desmoldantes à base de água, tendem a resfriar o molde, retirando assim calor e energia do sistema (isto pode representar uma desvantagem se o processo não for projetado para isso).
  • Agentes desmoldantes Semipermanentes:
    • F: Exigem uma frequência de aplicação significativamente mais baixa que agentes desmoldantes de sacrifício, pois o filme do agente desmoldante dura por vários ciclos de moldagem (a frequência depende das condições do processo). Permitem uma produção mais estável e contínua, sem interrupção para aplicar o agente desmoldante. Há muito pouca transferência para a peça moldada, o que permite melhores condições para operações de pós-moldagem (revestimento, adesão). O agente desmoldante pode ser regularmente reaplicado no molde revestido, retocando o filme de agente desmoldante. Esta categoria de agentes desmoldantes oferece uma ótima combinação de barreiras químicas e físicas, prevenindo o acúmulo e garantindo o desempenho desmoldante desejado.
    • L: Exigem mais qualificação dos operadores para garantir a frequência correta de retoque. Os moldes precisam ser limpos para assegurar uma boa interação entre o agente desmoldante e a superfície do molde na primeira aplicação do agente desmoldante.
  • Agentes desmoldantes Internos:
    • F: Reduzem a necessidade de usar agentes desmoldantes externos.
    • L: Podem continuar a exsudar (segregar) para a superfície ao longo do tempo, comprometendo operações de pós-moldagem (revestimento e adesão) ou a superfície estética da peça. Raramente eliminam a necessidade de usar desmoldantes externos, pois os agentes desmoldantes internos nem sempre migram para a interface do molde ou podem não garantir uma eficiência desmoldante de 100%. São limitados na sua capacidade de realizar funções desmoldantes de alto desempenho, tais como agir nas características superficiais da peça.

Quais são os auxiliares de processo disponíveis para áreas difíceis ou ferramentas danificadas?

Ceras em pasta formam uma excelente barreira para começar em moldes limpos. Estes materiais oferecem uma proteção nas áreas riscadas, frias ou de alta pressão e formam uma camada durável que ajudará a minimizar as complicações causadas por defeitos na superfície metálica. Selantes de molde melhoram o desempenho do agente desmoldante criando uma superfície ideal para desmoldar as peças. Os selantes são aplicados apenas em ferramentas recém-limpas, mas o benefício dura por todo o ciclo de produção e de limpeza.

Quais são os principais fatores para selecionar o agente desmoldante correto para a tarefa?

Os fatores principais são:

  • Tipo de espuma que será produzida (rígida, para assentos, RIM, etc.).
  • Faixa de temperatura de moldagem.
  • Material do molde (alumínio, aço, etc.)
  • Tempo entre a aplicação do agente desmoldante e o despejo da espuma.
  • Tempo de cura.
  • Densidade da espuma.
  • Exigências de pós-moldagem (colagem, pintura etc.)

Quanto mais informações há sobre o processo, mais fácil é determinar o agente desmoldante perfeito.

Quais são os prós e contras do uso de agentes desmoldantes internos na prensagem de painéis de madeira?

Devido ao fato de que muito mais madeira é tratada quando se utiliza agentes desmoldantes internos, o consumo desse material é normalmente muito maior do que o de um agente desmoldante externo. No entanto, os agentes desmoldantes internos proporcionam uma camada adicional de segurança uma vez que toda a partícula de madeira, fibra, ou filamento é tratado, aumentando assim o potencial para a qualidade de desmolde desejado. Caso o colchão de madeira sofra algum dano ao entra na prensa, tal como uma inversão de um pedaço de maneira no caso do painel tipo OSB, ou como um deslocamento de partículas ou fibras, agentes desmoldantes internos podem ajudar a impedir que espaços na superfície não tratados entrem em contato com a superfície de pressão, aumentando assim o potencial para um desmolde limpo.

Para ajudar a reduzir os custos, os agentes desmoldantes internos podem ser usados nas camadas superficiais do painel de madeira apenas quando for uma opção. O uso de agentes desmoldantes internos à base de cera podem também reduzir a quantidade de cera ("slack wax", ou "e-wax") necessária para atingir as propriedades desejadas do painel. Utilizados diretamente, agentes desmoldantes internos não afetam a força de ligação interna de um painel. Agentes desmoldantes internos podem ser utilizados isoladamente, mas são mais eficazes quando usados em combinação com um agente desmoldante externo.

Quais tipos de agentes desmoldantes realizam estas funções?

Os agentes desmoldantes podem ser classificados de várias maneiras. Encontre aqui alguns exemplos de categorias possíveis e como se relacionam às funções de agentes desmoldantes de alto desempenho:

Por tipo de veículo:

  • Agentes desmoldantes à base de solvente: O(s) princípio(s) ativo(s) da fórmula do agente desmoldante é dissolvido ou disperso em um solvente ou em uma combinação de solventes. A escolha do solvente influencia a qualidade da dispersão, a formação do filme e a taxa de evaporação. Esta categoria de agentes desmoldantes serve não só para moldes aquecidos como também para aplicações em temperatura ambiente.
  • Agentes desmoldantes à base de água: Os componentes ativos do agente desmoldante são emulsionados em água, pois o composto ativo geralmente não é solúvel em água. Esta categoria de agentes desmoldantes é mais ecológica porque tem pouco ou nenhum COV (Composto Orgânico Volátil). No entanto, a tecnologia e as técnicas de fabricação são cada vez mais complexas, oferecendo uma emulsão estável e uma boa formação de filme, principalmente em temperatura ambiente. Muitas vezes, esta categoria de agente desmoldantes se apresenta numa forma solúvel. Agentes desmoldantes à base de água também precisam ser biologicamente estáveis / robustos.
  • Agentes desmoldantes sem veículo: Geralmente são agentes desmoldantes sólidos e em pó. A aplicação é frequentemente feita com um pulverizador eletrostático. Um filme é formado ao contato com a superfície aquecida, parecido com um revestimento em pó.

Por interação do agente desmoldante (MRA) com o processo:

  • Agentes Desmoldantes de Sacrifício: Esta categoria de agentes desmoldantes é aplicada em cada ciclo de moldagem. O filme do agente desmoldante na superfície do molde se desgasta em grande parte após cada ciclo de moldagem e precisa ser reaplicado.
  • Agentes Desmoldantes Semipermanentes: Esta categoria de agentes desmoldantes é reativa com a superfície do molde, adere quimicamente a ela e oferece também uma barreira desmoldantes química e física. Uma vez aplicados no molde, os agentes desmoldantes semipermanentes permitem ciclos de moldagem múltiplos antes que o agente desmoldante precise ser reaplicado ao molde.
  • Agentes desmoldantes Internos: Estes são produtos químicos especiais que são integrados no material que será moldado. Por serem geralmente quimicamente incompatíveis com o material, tendem a transpirar para a superfície da peça durante o processo de moldagem, produzindo assim uma camada desmoldante. Às vezes, o mecanismo de migração para a superfície do agente desmoldantes pode ser acelerado com calor.

Qual a diferença entre pinturas com e sem carga?

A pintura interna contém cargas selecionadas e especiais. Já as pinturas sem cargas não as contém.

Qual a diferença entre pinturas internas de única desmoldagem e de várias desmoldagens?

Pinturas internas de única desmoldagem são aplicadas no interior de cada pneu antes de ser curado. A pintura interna durável é aplicada no interior do pneu antes da cura; o filme lubrificante deverá ser transferido do interior do pneu tratado para a superfície do bladder durante o processo de cura. O filme transferido forma uma camada sobre o bladder com suficiente lubricidade para permitir a cura de vários pneus até que ocorra a necessidade de uma nova aplicação através da pintura de outro pneu.

Qual a melhor maneira de diluir um agente desmoldante concentrado?

Os materiais podem ser diluídos em unidades de mistura dotadas de dosadores que fazem as adições de quantidades consistentes de água sobre o concentrado, mantendo a razão de diluição requerida, sem a necessidade da valiosa força de trabalho do operador.

Qual a melhor maneira de se aplicar um agente desmoldante?

Dependendo do set up de produção uma variedade de sistemas de aplicação podem ser utilizados. Desde uma pistola de pintura manual até um sistema de aplicação em spray automatizado, a melhor maneira de aplicação poderá ser indicada pelo seu fornecedor de agente desmoldante.

Qual a preparação que eu devo seguir após uma pequena reparação do molde? Algumas vezes eu tenho que retornar o molde á produção em menos de uma hora.

Muito deste processo depende de que material voce esta usando para este concerto, qual é a velocidade da cura deste reparo, bem como quanto profundo e largo foi este conserto. Consertos rápidos, carregados com talco, monômero de estireno, betume curado com BPO tem algumas vantagens nestas aplicações mesmo que tenham que ser cobertas com uma demão de gel-coating para fins de acabamento.

(SUGESTÃO UTIL): algumas vezes é comentado que fazendo-se alguns pequenos furos em posição negativa ao redor da área do molde que será consertada, eles ajudam a prender melhor o reparo ao molde e reduzem a incidência da remoção deste conserto durante os primeiros ciclos.

Estando a area reaparada já curada, lamidada e polida, todos os contaminantes devem ser removidos da superficie do molde usando-se pano e limpador de moldes. Em seguida aplica-se o selador e o desmoldante, seguindo a orientação do fornecedor.

Qual é a diferença entre um tratamento de bladder e um lubrificante para o início após a troca bladder?

O tratamento do bladder é uma cobertura especial aplicada sobre o bladder novo antes da cura e antes de ser instalado na prensa de vulcanização, com objetivo de aumentar sua vida útil; sua função é de proteger o bladder contra o ataque químico e abrasivo que ocorre na vulcanização, fazendo com que haja um aumento em sua vida útil.

O lubrificação de início de ciclo é uma cobertura que é feita sobre o bladder novo antes de ser instalado na prensa de vulcanização, para melhorar o deslizamento e reduzir os defeitos relacionados a falta de lubricidade durante as primeiras curas após a troca do bladder. Estes produtos deverão ter efeito sobre o bladder somente num limitado numero de ciclos; entretanto, não haverá nenhuma proteção contra o ataque químico ou abrasivo.

Qual é a melhor pintura interna para o meu processo/fábrica?

Esta é um pergunta difícil de responder porque dependerá do tipo de pneu a ser curado, tipo de prensa a ser utilizado e sistema de aplicação disponível. O melhor produto somente poderá ser definido, consultando um experiente fornecedor de pinturas (desmoldantes).

Qual é a ótima relação de diluição?

Não há como definir a ótima relação de diluição. Esta relação deverá ser definida de acordo com a necessidade de cada peça em particular. A ideal relação de diluição é a que propiciará uma boa formação de filme principalmente no menor tempo possível e pulverização do desmoldante.

Qual é a recomendação adequada de diluição para o preparo de desmoldante?

Sugerimos a utilização de água pura (com baixa concentração de sais) para o preparo do desmoldante. Água que contenha até 100 ppm de dureza total poderá ser utilizada sem efeitos colaterais. Água muito pura (com menos de 10ppm de dureza) poderá ocasionar corrosão superficial na ferramenta enquanto água de alta dureza poderá gerar entupimento dos bicos pulverizadores e resíduo na cavidade do molde. Utilizando-se a água adequada, reduziremos as paradas de máquina e obteremos fundidos de melhor qualidade.

Qual é o impacto do acúmulo de agente desmoldante nas superfícies?

O acúmulo de agente desmoldante, do material sendo moldado, ou derivados e resíduos gerados por reações químicas que podem acontecer dentro da cavidade do molde (em situações onde o composto é quimicamente modificado durante o processo de moldagem), afetam negativamente o desempenho da moldagem em relação à transferência térmica, propriedades dimensionais da peça, a aparência estética e eficiência do processo. Incrustações dentro da cavidade do molde precisam ser removidas regularmente, por meio mecânico ou químico, para garantir a qualidade da peça. Cada vez que um molde precisa ser limpo no local ou receber outra manutenção, perde-se produtividade.

Problemas de acúmulo podem surgir por duas causas principais:

  • Excesso de agente desmoldante no molde. Isto ocorre possivelmente por causa da má escolha do agente desmoldante para a aplicação específica (e.g. não compatível com a temperatura do processo) ou da aplicação excessiva do agente desmoldante no molde.
  • •    Falta de barreira desmoldante causando acúmulo do material que está sendo moldado ou derivados e resíduos gerados durante o processo de moldagem. Neste caso, a escolha do agente desmoldante pode não seja adequada para as condições de processo (impróprio para a temperatura do processo, má formação do filme, etc.). Isto também pode ser causado por deficiências na aplicação (filme de agente desmoldante insuficiente no molde) ou falta de resistência física e/ou química do agente desmoldante contra o material, que então penetra o filme de agente desmoldante e adere física ou quimicamente no molde.

Qual o equipamento recomendado para pulverizar o agente desmoldante?

Vários agentes desmoldante podem ser usados com várias formas de pulverização. Enquanto os sistemas HVLP são o método de aplicação mais comum, há muitos outros métodos baseados em configurações de equipamento e de fábrica.

Qual preparação devo eu fazer após o polimento, lixamento, ou limpeza do molde?

Lixamento, polimento pesado ou limpeza do molde irão abrir a porosidade dele, deixando o estireno não reagido sair do molde durante a produção. Isto pode ocorrer em moldes já em uso também. Uma vez que o molde foi polido, lixado ou limpo, e todos os contaminates removidos, você deverá limpar o molde com um pano embebido em bastante limpador de moldes, seguindo as recomendações de aplicação. Então aplique o selador e o desmoldante seguindo as instruções do fornecedor.

Quando / Porque deveremos utilizar um tratamento de bladder ou um tratamento inicial do bladder?

O tratamento de bladder é utilizado quando se tem como objetivo aumentar a vida útil do mesmo, especialmente na região de maior fadiga. O tratamento do bladder também propiciará uma camada de maior lubricidade sobre o bladder ajudando a reduzir defeitos durante toda sua vida útil.

O tratamento de início de vida do bladder, é utilizado para ajudar no início das primeiras curas após a troca do mesmo, melhorando a lubricidade e ajudando o novo e rígido bladder a se moldar no contorno interno do pneu, reduzindo defeitos comuns que ocorrem após sua troca. Entretanto este tratamento não garante uma protação contra agentes químicos e ataque abrasivo, não contribuindo para aumentar sua vida útil.

Quanto tempo devo esperar entre a aplicação do agente desmoldante e o despejo da espuma de poliuretano?

O importante é ter uma superfície do molde seca antes de despejar a espuma. Um veículo líquido é usado para levar o agente desmoldante para toda a superfície da ferramenta. Este veículo precisa evaporar antes que a espuma seja despejada ou injetada para dentro do molde.

Quão rápido a indústria está deixando os agentes desmoldantes à base de solvente e se concentrando apenas nos agentes desmoldantes à base de água?

A mudança depende em grande parte das exigências da indústria e dos processos. Várias indústrias não aceitam mais produtos à base de solvente por preocupações com a saúde, segurança e meio ambiente ou por problemas de regulamentações. Indústrias tais como as da fundição em moldes, fabricação de pneus e moldagem de borracha em geral usam, na maioria, agentes desmoldantes à base de água. A indústria de poliuretano não usa só agentes desmoldantes à base de água, mas também os à base de solvente, as indústrias de compósitos e termoplásticos usam, no momento, geralmente agentes desmoldantes à base de solvente.

Os produtos à base de água são mais sensíveis em sua aplicação (oferecendo mais desafios para a formação do filme) e têm taxas de evaporação mais lentas (o que pode ser influenciado pelo método de aplicação, condições de processo e níveis de umidade ambiente) que produtos à base de solvente. Produtos à base de água são mais propensos a causar uma interação química com água residual que permanece na superfície do molde, com o material a ser moldado, durante o processo de moldagem (e.g. geração de derivados de ureia na moldagem de poliuretano). Esta categoria de agentes desmoldantes também requer mais tecnologia para garantir a estabilidade da emulsão e resistência à bioatividade. Estes desafios precisam ser superados para expandir o uso de agentes desmoldantes à base de água em uma ampla gama de indústrias.

Que tipo de sistemas de diluição é recomendado?

Basicamente as fundições utilizam sistemas centralizados de diluição (atendendo várias injetoras), ou tanques de diluição individual dedicados a uma única injetora. Sistemas centralizados simplificam a tarefa de diluir o produto e seu controle havendo também menor investimento em equipamento. A desvantagem é que no caso de haver moldes de diferente complexidade, será difícil adequar o desmoldante a esta necessidade como variar a relação de diluição e adequar outro desmoldante a esta necessidade específica. Sistemas de diluição individual permitem um rigoroso controle de diluição e são preferidos quando a qualidade e complexidade das peças são extremas.

Um agente desmoldante pode causar problemas no tratamento pós-moldagem?

Geralmente, o tratamento pós-moldagem de superfícies pode ser prejudicado por resíduos do agente desmoldante, caso o agente não seja compatível com este tratamento ou se há um excesso na superfície da peça desmoldada. A escolha dos produtos químicos do agente desmoldante compatíveis com as operações pós-desmoldantes, o ajuste do nível de aplicação no molde e a escolha de agentes desmoldantes de baixa transferência (como semipermanentes) podem trazer sucesso às operações de pós-moldagem e minimizar qualquer problema de contaminação das peças.

Você realmente precisa de um agente desmoldante ao prensar painéis de madeira?

Até recentemente, os painéis de madeira reconstituída têm sido feitos principalmente com resinas à base de formaldeído (ureia-formaldeído, fenol-formaldeído, etc). Este agente ligante requer muito pouco, se algum, agente desmoldante. No entanto, a recente mudança para metileno difenil diisocianato polimérico ("pMDI") e outros ligantes à base de não-formaldeído criou uma necessidade para agentes desmoldantes no processo de prensagem devido à pegajosidade destas resinas. Sem o uso do agente desmoldante adequado, painéis podem aderir às superfícies de prensagem causando acumulação de sujeira ou, em casos extremos, a adesão catastrófica do painél no cilindro ou na correia de prensagem.